A proposta brasileira para a oceanografia durante o Ano Polar Internacional, SOS-CLIMATE, conduzirá estudos multidisciplinares nas áreas da quebra da plataforma e talude Antártico, particularmente nas regiões oeste do Mar de Weddell, passagem de Philip, Ilha Elefante, Estreito de Bransfield e Gerlache. A proposta visa contribuir no constante monitoramento da exportação de águas densas formadas nessa região. Este aspecto é crucial para o entendimento das mudanças no clima da Terra. A proposta brasileira está embasada na obtenção de dados hidrográficos e dinâmicos (correntometria) na região, através de seções repetidas a bordo de navio e de fundeios em setores considerados críticos na região do talude do Estreito de Bransfield e Ilha Joinville. As seções hidrográficas serão coordenadas com outras atividades previstasI, como por exemplo fundeios de correntômetros e termo-condutivímetros na região das passagens profundas a oeste das Ilhas Orcadas do Sul. Além disso, o grupo do SOS-CLIMATE irá amostrar aspectos químicos e biológicos destas águas como as concentrações de nutrientes dissolvidos, as concentrações de biomassa fitoplanctônicas e as relações entra o sinal ótico e os constituintes da água do mar (clorofila, material particulado e matéria orgânica dissolvida). Durante a Rede-1/GOAL, verificou-se a dessalinização da bacia central do Estreito de Bransfield. Durante o API, pretende-se, através dos fundeios (moorings), monitorar as propriedades termohalinas e correntes do fundo oceânico para verificar sua variabilidade sazonal e intranual.

O projeto SOS-CLIMATE está inserido nos seguintes projetos plenos do Comitê Conjunto do API:

 

Coordenador: Dr. Carlos Alberto Eiras Garcia