Grupo de Oceanografia de Altas Latitudes

 

  • -07jan08 033.jpg
  • 044_2.jpg
  • antartica.jpg
  • ary rongel 24 out 2007 108_2.jpg
  • boiarad_013_2.jpg
  • deriva_008_2.jpg
  • dsc01641_2.jpg
  • dsc01737_2.jpg
  • dsc01742_2.jpg
  • dsc03381_2.jpg
  • dsc03434_2.jpg
  • dsc03436_2.jpg
  • dsc03444_2.jpg
  • dsc03454_2.jpg
  • dsc03464_2.jpg
  • dsc03472_2.jpg
  • dsc03473_2.jpg
  • dsc03499_2.jpg
  • dsc03514_2.jpg
  • dsc03519_2.jpg

 

O Grupo de Oceanografia de Altas Latitudes (GOAL) contribui para o entendimento da relação entre o ambiente físico/químico, os microorganismos marinhos, e os predadores de topo da cadeia trófica (mamíferos marinhos) no oceano Austral. Estes componentes eram estudados separadamente no ambiente antártico dentro do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR). Porém, o entendimento dessas relações é crucial para que se possa avaliar o efeito de mudanças ambientais globais sobre cada segmento. Além disso, a dificuldade de acesso ao ambiente marinho no oceano Austral requer um planejamento específico e eficiente para se determinar os possíveis efeitos das mudanças globais sobre aquela área. É necessário inicialmente a compreensão da variabilidade oceânica devido a processos naturais e/ou climáticos, para que se possa, posteriormente, isolar os efeitos devido às mudanças globais. Estes somente podem ser obtidos através de programas plurianuais, de longo prazo, de coleta e análise de dados bióticos e abióticos do meio marinho. Portanto, estudos integrados do ecossistema marinho, visando sua relação com o quadro atual de mudanças globais, são objetivos permanentes do GOAL.